Setor imobiliário começa a dar sinais de estabilização

A nova decisão tomada pela Caixa Econômica Federal de financiar imóveis usados em apenas 50%  do valor cria uma expectativa de estabilização dos valores praticados dos imóveis essa é a expectativa que a Nelson Alexandre Imóveis acredita.

Durante os últimos quatros anos, os valores dos imóveis cresceram muito, foram supervalorizados, inclusive pelas próprias prefeituras com o lançamento do IPTU e com isso fez com que muitos proprietários valorizarem o seus imóveis. Hoje temos muitos imóveis usados à venda, porém o acesso ao crédito ficou cada vez mais difícil e restrito. Os bancos privados estão tentando abocanhar essa fatia, porém a situação de nossa economia acende o sinal amarelo na hora de avaliar o perfil do comprador, comenta Nelson Alexandre proprietário da Nelson Alexandre Imóveis.

A estabilização está relacionada com a adequação dos preços praticados no mercado, chegando a cair mais de 30% (trinta) por cento do valor na negociação. Isso se dá devido a grande oferta de imóveis e a disponibilidade dos proprietários em fechar um bom negócio. Pode acontecer que daqui uns 2 a 4 anos o valor desejado pelo proprietário para a venda do seu imóvel caia significativamente e com isso o que hoje ele espera ter em capitalização com a venda pode não acontecer no futuro então o momento é de aproveitar e fazer uma boa negociação comenta Nelson Alexandre.

Outro fator que está favorável para a cidade de Osasco em especial é a quantidade de imóveis novos que estão sendo empreendidos sem contar na região central os prédios comerciais. Certamente isso se dá devido ao desenvolvimento de Osasco e a proximidade com a cidade de São Paulo, que restringiu novos empreendimentos na região central e os valores dos imóveis serem mais atrativos.

Vale lembrar que os proprietários não podem ficar focado na referencia de grandes portais para se ter uma ideia de valor para o seu imóvel é preciso conversar com imobiliárias e corretores habilitados para uma boa avaliação, pois os valores podem ser bem diferentes, comenta Vinicius Gouveia, sócio proprietário da Nelson Alexandre Imóveis.

Segundo informações do CRECI-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo), a redução dos financiamentos bancários teve reflexo diretamente nas vendas de imóveis usados. Os créditos concedidos pelos bancos aos compradores, que fora responsável por 67,12% nas vendas em julho, caiu para 54% em agosto, uma redução  de 13,12 pontos percentuais. Já as vendas à vista passaram de 26,03% em julho para 46% em agosto.

 

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *