A Era da Informação e as carreiras do futuro

A demanda pela transmissão de informações padronizadas e consistentes se fortalece com o aumento dos elementos que se conectam aos sistemas de comunicação. A qualidade da informação é o diferencial que pode levar uma aplicação ao êxito.


Francisco Borges (*)

Desde o momento em que o ser humano identificou a necessidade de transmitir informações de forma precisa, algumas carreiras passaram a ser extremamente valorizadas. Isso ocorre atualmente de forma acelerada, na mesma proporção em que distância e limitações tecnológicas desaparecem e deixam de ser obstáculos.

A demanda pela transmissão de informações padronizadas e consistentes se fortalece com o aumento dos elementos que se conectam aos sistemas de comunicação. A qualidade da informação é o diferencial que pode levar uma aplicação ao êxito.

Neste cenário tecnológico, pode-se fazer a separação de dois segmentos que se sustentam por décadas como diferenciais. Um deles é o da segurança da informação, que aborda a conectividade, os protocolos e capacidade de conexão a um número crescente de elementos, dispositivos e equipamentos, o que se traduz na sigla IoT – Internet of Things ou, em português, Internet das Coisas.

O segundo elemento é o da qualidade da informação, onde está a base de dados e as ferramentas para consulta e aplicação das informações, como o conhecimento que é agregado ao negócio. Divide-se em dois ramos denominados BI (Business Intelligence ou Inteligência do Negócio) e Big Data, que se resume na capacidade de armazenamento e análise de dados para serem convertidos em benefícios para o negócio.

A segurança e a qualidade da informação partem da transformação de meios de comunicação físicos em meios virtuais e lógicos capazes de conectar qualquer “coisa” ou equipamento, possibilitando que ele seja operado remotamente, de forma eficaz, a fim de que gere ganhos de eficiência e melhora dos resultados.

A essência se expressa na capacidade de uma geladeira conectada a internet realizar a compra de produtos necessários ou do agrado de seu proprietário a partir de informações como preços, da disponibilidade de recursos financeiros destinados a este fim, quantidade do que se tem armazenado e previsibilidade do período de consumo.

Obviamente, os conhecimentos relacionados a protocolos de comunicação, conexões remotas, segurança da informação e computação em nuvem associados a business analytics, business intelligence e big data conduzirão os negócios nas próximas décadas. Para o indivíduo, a especialização nessas áreas significa o ingresso em um mercado que só crescerá nos próximos anos e que precisará de seus conhecimentos. Para as empresas, a adequação a essa nova realidade garante, num futuro próximo, a diferenciação, com a conquista de melhorias quanto à produtividade, resultados e satisfação de seus clientes. Mais adiante, será questão de sobrevivência.

(*) Francisco Borges é consultor da Fundação FAT em Políticas Públicas voltadas ao Ensino.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *